NOVA MUTUM, 17 de Junho de 2024
icon weather 14 º 26 º
DÓLAR: R$ 5,41
Logomarca

GERAL Terça-feira, 03 de Outubro de 2017, 16:37 - A | A

03 de Outubro de 2017, 16h:37 - A | A

GERAL /

Nova Mutum: Policia Civil prende Cinco homens por comercializar agrotóxicos sem procedência



A Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) de Cuiabá prendeu na manhã desta terça-feira (03), cinco homens suspeitos de comercializar agrotóxicos sem procedência na região.

Segundo o Delegado da GCCO de Cuiabá Luiz Damasceno, essa prisão se deu graças a colaboração da sociedade. “O que chama atenção é que são produtos falsificados, de acordo com a própria empresa que produz, a gente mandou fotos dos produtos para a mesma, que identificou que o material apresentava falhas na produção”. Além disso, era feito o transporte irregular do material, até o momento já foram presos cinco pessoas, dois veículos e um caminhão, isso só em Nova Mutum.


Os produtores rurais devem tomar cuidado com os produtos que oferecem, pois muitas vezes o barato se torna caro, esses produtos podem estar sendo comercializados sem o principio ativo, o que pode deixar a plantação desprotegida das pragas.

Um dos presos detidos nessa operação veio de diamantino e já possuía um mandado de prisão em aberto, possivelmente envolvido em outros crimes cometidos na semana passada em Nova Mutum. Segundo o Delegado, a Polícia já estava na cola do mesmo, que acabou sendo localizado junto com esse grupo nessa pratica de crime que foi pego ontem.

Esses agrotóxicos apreendidos estavam em um caminhão, que tinha como origem o estado de São Paulo, possivelmente da região de Franca. “A Policia Civil de Franca vai ser comunicada, para tentar identificar a localização dessa fabrica que tem uma certa capacidade de desenvolvimento, pois a embalagem tem uma semelhança muito grande com o produto original, só quem é especialista mesmo para poder identificar que trata-se de um produto possivelmente falsificado.” Disse o Delegado.

Os produtos possuíam notas fiscais emitidas para o estado do Paraná, o que fica notório que não seriam produtos destinados para Nova Mutum, foi identificada seis notas fiscais, o que ficou claro que o bando já estava vendendo esses produtos no interior do estado do Mato Grosso, sem o principio ativo, produtos que podem causar danos ambientais. “Enfim o agricultor que compra esse tipo de produto também está sujeito a responsabilidades, é bom que isso fique claro, a gerência está à disposição em Cuiabá, disposta a receber informações para combater a criminalidade”. Concluiu o Delegado Luiz Damasceno em entrevista ao site Power Mix.

 

Fonte:DaRedação/Fotos:DjefersonKronbauer e Divulgação



Comente esta notícia