NOVA MUTUM, 24 de Maio de 2024
icon weather 21 º 35 º
DÓLAR: R$ 5,15
Logomarca

AGRONEGÓCIOS Sexta-feira, 31 de Agosto de 2018, 14:31 - A | A

31 de Agosto de 2018, 14h:31 - A | A

AGRONEGÓCIOS / AGRONEGÓCIO

Nematoides ‘atacam’ 35% da área de algodão em Mato Grosso

Assessoria



Os nematoides são um dos principais fatores limitantes da produção e da produtividade do algodoeiro. No Brasil, nos últimos 15 anos, a ocorrência e danos causados pelos nematoide na cultura do algodoeiro é crescente. Aproximadamente, 35 % da área do Estado de Mato Grosso apresenta a ocorrência do nematoide das galhas e/ou reniformes. O manejo integrado que inclui o controle genético, o biológico, o químico; e o manejo cultural e o manejo nutricional são ferramentas para controlar a incidência nas lavouras de algodão.

“Os nematoides sempre são um dos fatores limitantes da produção nas condições do cerrado brasileiro. Por não ser facilmente visualizados pelos técnicos, seus efeitos na maioria das vezes são subestimados, mas não há dúvidas que são um dos principais limitantes, sobretudo em regiões tradicionais de produção do estado”, afirmou Rafael Galbieri, fitopatologista do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMA).

Para o pesquisador uma das formas mais eficiente, de fácil implementação e sem custos adicionais é a utilização da resistência genética no controle desses parasitas. Mas, segundo ele, o produtor não pode abrir de outros métodos que compõe o manejo integrado. “O aumento da sustentabilidade da cultura no estado passa pelo controle dos fatores que podem limitar a produção. Uma só ferramenta não faz milagre”, destacou.

Essas informações foram apresentadas durante o X Encontro Técnico de Algodão da Fundação MT que termina hoje em Cuiabá.

Rosangela Silva, pesquisadora da fundação, também apontou a importância do diagnóstico específico, sobre a distribuição dos nematoides em Mato Grosso e a sobre a importância do planejamento das coberturas para a redução populacional. “Sem dúvidas que o manejo integrado é a ferramenta mais eficiente para o cotonicultor que quer ter o controle dos nematoides e dos outros fatores que interferem o desenvolvimento da planta do algodoeiro”, disse a pesquisadora.

De acordo com Rosangela, o nematoide que mais tem limitado a produção do algodão em Mato Grosso é o Rotylenchulus reniformis. “Nas área onde ele ocorre, produtor está tendo dificuldade de efetuar o manejo em função da capacidade de sobrevivência e dificuldade de reduzir a população com a entressafra”. Monitoramento constante da lavoura e o empilhamento de manejo integrado são as principais recomendações feitas pela especialista. “Tem que usar todas as táticas de manejo em conjunto”, finalizou. A informação é da assessoria.



Comente esta notícia