NOVA MUTUM, 27 de Maio de 2024
icon weather 19 º 32 º
DÓLAR: R$ 5,17
Logomarca

PLANTÃO POWER MIX Quarta-feira, 25 de Outubro de 2017, 15:21 - A | A

25 de Outubro de 2017, 15h:21 - A | A

PLANTÃO POWER MIX / Tática de defesa

Por benefício, delator usa “desgraça alheia”

Midianews



Para tentar obter perdão judicial, o advogado Júlio César Rodrigues, delator da Operação Ventríloquo, que apura suposto desvio de R$ 9,4 milhões da Assembleia, usou o fato de o primeiro delator da operação, o advogado Joaquim Mielli, ter sido “pego na mentira”. Em requerimento à juíza Selma Arruda, Julio César registrou que foram os vídeos entregues por ele que mostraram que Mielli ocultou de propósito a participação do deputado estadual Romoaldo Júnior (PMDB) no esquema. A situação levou o Ministério Público a pedir a rescisão da delação de Mielli.  “Diante do exposto e em atendimento ao princípio da isonomia, requer a aplicação do perdão judicial do réu, nos termos do artigo 51 do Código de Processo Penal e do inciso IX do Código Penal, uma vez que tal benefício fora oportunizado ao suposto ‘colaborador’, ludibriante”, disse Júlio César, alfinetando Joaquim Mielli. 



Comente esta notícia