NOVA MUTUM, 28 de Maio de 2024
icon weather 10 º 21 º
DÓLAR: R$ 5,17
Logomarca

POLÍCIA Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018, 05:20 - A | A

19 de Fevereiro de 2018, 05h:20 - A | A

POLÍCIA / POLÍCIA

Polícia Militar prende homem suspeito de abusar de criança de 12 anos em Nova Mutum

Redação/Djeferson Kronbauer
Nova Mutum



A Polícia Militar prendeu na noite do último domingo (18), um homem suspeito de cometer um estupro de vulnerável em uma menina de 12 anos em Nova Mutum.

Segundo informações obtidas pelo site Power Mix, a PM recebeu uma ligação via 190, aonde a solicitante relatou que havia ocorrido um abuso a uma criança, e que a mesma aguardaria a chegada da policia em sua residência localizada na Rua das Begônias, bairro Lírios do Campo.

De imediato a guarnição de serviço se deslocou até o endereço informado, aonde a mãe da vítima disse que em alguns dias atrás, o suspeito H.M.S, 30 anos, havia dito que iria ao banheiro e no momento em que abriu a porta encontrou a menor sem roupas, com isso o mesmo falou para a menor que ela ficasse calada e não contasse a ninguém o que ele havia visto.

Com medo, a menor de fato não comentou nada com seus familiares. Nesse domingo o suspeito foi comprar um refrigerante e chamou a mesma para acompanhá-lo, durante o percurso ele disse a menor para ela depilar as partes íntimas, pois ele iria “chupar ela inteira”, após dizer isso o mesmo passou a mão na bunda da menor.

Ao chegar em casa, a vitima falou para sua mãe o que havia acontecido, e que estava com medo do suspeito, tendo em vista que o suspeito havia dito possuir uma arma e que iria buscar em um local.

Diante dos fatos a guarnição se dirigiu até o endereço do suspeito, realizou a detenção do mesmo e encaminhou-o até a Delegacia Judiciária Civil para as devidas providências.

Em entrevista a mãe da menor contou a imprensa, como foi que tudo aconteceu.

Djeferson Kronbauer

Mae da menina de 12 anos estuprada

(Mãe da vitima em entrevista a imprensa)

“Eu fiquei sabendo hoje, que ela teve coragem e contou, foi à segunda vez já, mas não chegou às vias de fato né, mas eu fiquei sabendo hoje, e vindo de uma pessoa da família né, marido da minha filha, fazia nem uma semana que eles estavam morando junto, e ele faz uma burrada dessas, apesar de que a gente não conhecia muito ele, eu não conheço ninguém da família dele, eu conhecia só ele.”

“Fui contra quando ela foi morar com ele, eu era totalmente contra, quer dizer, sou até hoje, ai quando nós descobrimos, conversemos com ele, ai ele embarcou na moto e disse que era mentira, e ela o acusou na frente dele, falou tudo que ele falou na frente dele, foi corajosa de falar a verdade na frente dele, aí eu liguei na Polícia.”

“Ele foi para a casa dele, ai falou que ia buscar uma arma, porque daí meu marido falou que ia lá, na verdade ele foi lá, mas daí ele ficou do lado de fora, porque ele falou que se entrasse iria fazer uma besteira, e o outro armado né, ele nem veio junto na delegacia, para não acabar ficando ai também né.”

“Eu espero que seja feito justiça, que ele fique apodrecendo ai, por que ele tem um filho, ele devia ter pensado no filho dele antes de fazer isso que ele fez, e agora o filho dele, o que vai dizer dele, uma criança de quatro anos que não entende nada né, agora eu não sei, agora só espero que seja feito justiça.” Concluiu a mãe da vítima em entrevista à imprensa.

O conselheiro tutelar Alibel Patrocínio conversou com a imprensa e falou da importância de denunciar esse tipo de crime.

Djeferson Kronbauer

Conselheiro Tutelar Alibel Patrocínio

(Conselheiro Tutelar Alibel Patrocínio)

“É de suma importância os familiares, alguém que tenha alguma suspeita de abuso, denunciar a Polícia Militar, Polícia Civil ou Conselho Tutelar, tem que denunciar para não fique impune esses crimes bárbaros que acontecem em nossa sociedade, infelizmente esse não é o primeiro caso que acontece em nosso município, é triste, mas é uma realidade, já houve outros casos de abuso aqui, mas todos os casos que chegam ao conhecimento das autoridades estão sendo averiguados, e encaminhados ao judiciário para que sejam tomadas as medidas cabíveis.” Disse Alibel em entrevista a imprensa.



Comente esta notícia