NOVA MUTUM, 13 de Junho de 2024
icon weather 22 º 32 º
DÓLAR: R$ 5,37
Logomarca

POLÍTICA Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017, 12:58 - A | A

23 de Novembro de 2017, 12h:58 - A | A

POLÍTICA / POLITICA

Fórum Ferrovia e a Integração de Modais movimenta Nova Mutum

So Noticias
Nova Mutum



Começou, há pouco, em Nova Mutum o Fórum Ferrovias e a Integração dos Modais com objetivo de fortalecer as articulações para expansão ferroviária até Mutum, no Médio Norte Mato-grossense. Lideranças empresariais, do agronegócio e política estão tratando do assunto, no sindicato rural. O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Paulo Rabello Castro, o governador Pedro Taques, estão participando.

"Apesar das dificuldades da crise, nos trabalhamos noite e dia para melhora ainda mais. Nova Mutum está entre os 80 munícipios que mais importam grãos no país. Por isso, é preciso pensar em novos modais de transportes. Mutum está preparada para ser integrada aos trilhos da ferrovia, que está parada em Rondonópolis. Queremos fazer todos os esforços  necessários para sermos comtemplados com essa empreendimento. Não temos dúvida que esse dia será um marco para história de Nova Mutum", disse o prefeito Adriano Pivetta, que abriu o encontro.

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Castro, disse que "hoje estamos dando um passo importantíssimo. Nós somos sociedade de palavras. Essa obra já deveria ter saído do papel. Escolhemos um lado que é estar juntos com os que produzem nesse país. Estamos diante de um processo de inversão da lógica de produção. Existe um segredo para agricultura que deu certo, que é o juro mórdico e imposto baixo. O Brasil precisa desta fórmula aprovada no Congresso. O juro brasileiro é que está errado. Nós precisamos pensar que está é a luta brava para o próximo ano de conceito", discursou. O banco é uma das principais fontes para investimentos em logística no país.

O governador Pedro Taques também defendeu a expansão dos trilhos até o Médio Norte. "Estamos disponíveis para ajudar viabilizar esse empreendimento. Essa ferrovia não tem dono. É do povo de Mato Grosso, mas a burocracia nos impede de evoluir. O mundo precisa de alimento. Até 2050 precisamos aumentar o estoque de alimento em até 40%. Parte deste estoque está no nosso Estado. Cabe ao governador não atrapalhar esse desenvolvimento", afirmou.

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, disse que o ministério está "alinhado para trazer a ferrovia para essa região. Aqui se produz e gera emprego e a preservação ambiental. As mudanças que o governo está implantando são de extrema importância, mas o investimento em logística é fundamental. É nossa obrigação melhor as condições de logística neste Estado", discursou.

Atualmente, a estrutura ferroviária em Mato Grosso 'chega' a Alto Araguaia e Rondonópolis na malha com acesso a São Paulo por onde são escoadas centenas de toneladas de diversos produtos - commodities agrícolas (fertilizantes, milho, trigo, soja, farelo, óleo vegetal e açúcar), combustível, produtos industrializados, dentre outros. A reivindicação do setor produtivo e político é a expansão da ferrovia de Rondonópolis a Cuiabá e, em seguida, ao Médio Norte.

Também participam do fórum, o diretor geral da Agência Nacional dos Transportes, Jorge Luiz Bastos Macedo, deputados, secretários estaduais, dirigentes de entidades do setor produtivo. O painel de debates é com o diretor-presidente da Rumo S.A, Júlio Fontana, apresentando os planos de expansão e o projeto de ampliação da malha da principal empresa de logística e transporte ferroviário. Os debatedores são o secretário de Estado de Infraestrutura (Sinfra), Marcelo Duarte, presidente do Fórum Pro-ferrovia, Francisco Voulo e o presidente da Aprosoja, Endrigo Dalcin.

Marcelo Duarte considera indispensável o avanço "dos trilhos da Malha Norte, de Rondonópolis, Cuiabá até chegar em Sorriso, passando por Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. A importância maior do fórum é este, como vamos fazer, por onde vai passar e o que precisa ser feito na esfera federal e estadual para que isto aconteça”, disse, através da assessoria.

O Governo do Estado defende a prorrogação da concessão da empresa Rumo ALL por mais 30 anos, como forma de impulsionar a chegada dos trilhos da Ferronorte em Cuiabá. Após estes investimentos na malha antiga e com a renovação da concessão, a empresa deverá investir na Ferronorte cerca de R$ 1,36 bilhão no trecho de 260 km entre Rondonópolis e Cuiabá.

O segundo painel é com o palestrante e consultor Frederico Bussinguer, que apresentará os desafios das ferrovias brasileiras. Participam como debatedores o diretor executivo do movimento Pró-Logística de Mato Grosso, Edeon Vaz Ferreira, secretário de Coordenação de Projeto, Tarcísio Gomes de Freitas, Secretário de Fomento e Parcerias do MTPA, Dino Antunes Dias Batista.

No final do encontro, eles vão construir a carta de Nova Mutum com reivindicações para extensão da ferrovia atéo o Médio Norte. O fórum é promovido pela prefeitura de Nova Mutum com apoio de entidades.

Em instantes mais detalhes



Álbum de fotos

Comente esta notícia