NOVA MUTUM, 19 de Junho de 2024
icon weather 20 º 37 º
DÓLAR: R$ 5,44
Logomarca

GERAL Terça-feira, 14 de Março de 2017, 03:53 - A | A

14 de Março de 2017, 03h:53 - A | A

GERAL /

Nova Mutum: Pivetta rebate críticas de vereador durante a 6º Sessão Ordinária



A 6º sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Nova Mutum foi marcada com a aprovação do polêmico Projeto de Lei Complementar 002/2017, que em sua proposta regulamentou a carga horaria de 30 horas para os cargos de assistente social e fisioterapeuta, criação de cargo de engenheiro ambiental para atender a unidade da SEMA, que será descentralizado para o município, criação de seis vagas de encarregado de monitoramento para atender o sistema de controle das câmeras de segurança implantadas em vários pontos da cidade a ainda a criação de dois cargos de administrador distrital.

Os vereadores em sua maioria optaram por suprimir através de uma emenda a cláusula que criaria as duas vagas de administrador distrital dentro do projeto em apresso.

O presidente da Câmara, Airton Pessi o Quick (PSDB), afirmou que desde que tomou conhecimento do projeto tentou conduzir as discussões para que fosse retirado esse item que cria os cargos de administrador distrital, e como não houve avanços nesse sentido, segundo o vereador tudo foi pensado para que não prejudicasse as demais propostas dentro do projeto da qual os parlamentares estaria de acordo com a aprovação.

“Usamos no nosso jurídico para suprimir essa cláusula que criaria essas duas vagas, e desta forma votamos e aprovamos todas as demais propostas dentro do projeto”, concluiu o presidente.

O vereador Cristiano Bicô (PRB), foi o único dos nove parlamentares que foi contrário à emenda que retirou a criação dos cargos, e fazendo uso da palavra livre sustentou sua posição, argumentado que seria a favor da criação dos cargos que resultaria numa remuneração maior aos dois servidores que atualmente exercem a função de subsecretários na comunidade Pontal do Marape e distrito Ranchão respectivamente.

A sessão desta segunda-feira (13), foi prestigiada pelo prefeito Adriano Pivetta (PDT), que foi convidado para fazer uso da palavra na tribuna da casa.

Por sua vez o gestor, rebateu as críticas proferidas pelo vereador José da Paixão (PSC), que em entrevista em um programa de rádio na manhã desta segunda-feira, questionou duramente a proposta do Projeto de Lei 002/2017, principalmente expondo sua discordância com a proposta da criação dos dois cargos de administrador distrital.

Dentre muitas palavras proferidas, Pivetta, chegou a comparar o vereador como um lobo em meio as ovelhas, relacionando a participação do parlamentar no seu grupo político durante as eleições de outubro.

“Eu vim aqui e venho quantas vezes for preciso para me defender e defender aquilo que falam da administração, exemplo senhor Zé da Paixão, do que o senhor falou em entrevista na rádio. Ninguém está criando cargo para pessoa é um cargo pensando em quem trabalha sem hora-extra, para quem trabalha cuidando das estradas, cuidando da ambulância que conduz a pessoa doente é para quem está 24 horas à disposição. Ai o senhor falou pode colocar qualquer analfabeto nesse cargo, eu não sou analfabeto tenho só a 7º série e fui reeleito pela quarta vez em Nova Mutum, isso faz entender que não precisa ser formado, não e pode tirar os méritos de quem trabalha, disse o prefeito.
O prefeito ainda fez uma leitura no livro de Sabedoria e questionou a crença do vereador que é evangélico, e expôs que o mesmo foi réu e respondeu um processo de violência doméstica.

Por sua vez o vereador José da Paixão fazendo uso da palavra, preferiu não entrar no mérito do caso proferido pelo gestor, mas fez comentários insinuando como uma atitude de orgulho a postura do prefeito. “Não vou descer no mesmo nível, pois aprendi com o meu pastor que não devemos agir assim, pois o ser humano quando ele veste uma máscara de humildade não consegue esconder a sua atitude arrogante”, disse o vereador.

Ainda usando a palavra o vereador fez menção de um versículo Bíblico, que diz “Quando o Justo governa o povo se alegra, mas quando o ímpio governa o povo suspira”, insinuando que muitos tem receio de fazer críticas à gestão.

No final da palavra do vereador, algumas pessoas presentes no plenário da casa chegaram a se manifestar com aplausos, e o clima foi de muita tensão no término dos trabalhos.

 

Fonte:DiarioNorte/Fotos:DjefersonKronbauer



Comente esta notícia