NOVA MUTUM, 17 de Junho de 2024
icon weather 16 º 36 º
DÓLAR: R$ 5,42
Logomarca

GERAL Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2021, 12:03 - A | A

20 de Dezembro de 2021, 12h:03 - A | A

GERAL / POR REAJUSTE SALARIAL

Policiais penais vão manter greve mesmo após decisão da Justiça

Paralisação começou na última quinta-feira (16) após falta de acordo entre o governo e a categoria, que busca equiparação salarial.

Power Mix com RepórterMT
Nova Mutum-MT



O Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado (Sindspen-MT) afirmou, na manhã desta segunda-feira (20), que ainda não foi notificado sobre a decisão da Justiça, que determinou a suspensão imediata da greve dos policiais penais, em Mato Grosso.

Além disso, a categoria garantiu que a paralisação continuará, independente do Judiciário. A informação foi repassada por meio da assessoria de imprensa do Sindspen.

O indicativo de greve já tinha sido sinalizado há alguns dias. A categoria reivindica equiparação salarial com as outras forças de segurança. Na quinta-feira (16), a greve foi deflagrada após falta de acordo com o governo.

Segundo o presidente do sindicato, Amaury Neves, o governo chegou a fazer uma proposta de reajuste salarial de 15%. Entretanto, ele afirma que a intenção dos policiais penais é o reconhecimento do trabalho e isso só irá ocorrer por meio da equiparação salarial.

Com a paralisação, apenas serviços essenciais estão sendo realizados nas 46 unidades prisionais do estado.

O Diretor Regional do Sindicato dos Policiais Penais, Rogerio Pessoa, convocou a imprensa para uma coletiva na manhã desta segnda-feira (20), e falou sobre a greve;

Atualmente, o estado conta com 2,6 mil policiais penais. Desses, a maioria tem salários que variam entre R$ 6 mil e R$ 8 mil. Porém, o salário inicial da categoria é de R$ 3.150, pago durante o estágio probatório. Nessa categoria há pelo menos 215 servidores, segundo o Portal da Transparência.

Decisão da Justiça

Na última sexta-feira (17), a desembargadora Antônia Siqueira Gonçalves determinou a suspensão imediata da greve dos policiais penais. Em caso de descumprimento, será aplicada multa de R$ 100 mil por dia.

Para ela, a greve pode trazer "danos a toda população que depende do sistema prisional do Estado de Mato Grosso".

Na ação, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) relatou que a greve é ilegal e abusiva, pois, não respeitou a manutenção do percentual mínimo de servidores nos postos de trabalho.

Além disso, a PGE alegou que sempre se colocou à disposição para o diálogo, porém o sindicato insiste em cobrar reajuste em "patamares irreais", reivindicando aumento de 90% no salário.



Álbum de fotos

Foto: Djeferson Kronbauer/Power Mix

Foto: Djeferson Kronbauer/Power Mix

Foto: Djeferson Kronbauer/Power Mix

Foto: Djeferson Kronbauer/Power Mix

Foto: Djeferson Kronbauer/Power Mix

Foto: Djeferson Kronbauer/Power Mix

Comente esta notícia