NOVA MUTUM, 16 de Junho de 2024
icon weather 20 º 36 º
DÓLAR: R$ 5,38
Logomarca

SORRISO Terça-feira, 21 de Dezembro de 2021, 10:49 - A | A

21 de Dezembro de 2021, 10h:49 - A | A

SORRISO / PESCA PREDATÓRIA

Em nova operação, outros três barracos são destruídos no Salto Magessi em Sorriso

No fim de novembro, ação semelhante foi realizada no local

Nádia Mastella



A pesca predatória, ainda mais em uma área de preservação permanente (APP), segue no foco de atenção da Administração Municipal de Sorriso. Junto com a Polícia Militar (PM), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e a Marinha do Brasil, integrantes da Coordenação de Proteção e Defesa Civil (Compdec) e do Núcleo Integrado de Fiscalização (NIF), deflagraram mais uma operação no Salto Magessi neste sábado (18). A operação teve início às 5h da manhã, quando as equipes chegaram ao Salto, e foi finalizada às 14h.

“Com o uso do helicóptero do Ciopaer foi possível avistar dois barcos no local, mas as forças policiais não puderam prender ninguém visto que não havia como o helicóptero pousar no ponto específico onde os possíveis pescadores foram avistados”, destaca o coordenador do NIF, Reinaldo Nunes.

Mesmo sem deter os infratores, a operação resultou na destruição de três barracos, remoção de dezenas de anzóis de galho, retirada de muito material de pesca e limpeza do local. “Tiramos de lá dois caminhões de lixo, mas como muita coisa pode ser reciclada, como papelão e latinhas, vamos destinar à Associação Sorriso de Catadores”, complementa Reinaldo, lembrando que novas operações devem ser feitas no local,  visto que ação de sábado “não representa nem 10% do que precisa ser feito lá”. Outros pontos também devem ser alvo de operações semelhantes, lembrando que, além de multa, pescar em áreas de preservação, assim com pescar em período proibitivo, pode resultar em prisão.

Foto: Reginaldo de Souza

Operação no rio sorriso

 

No dia 25 de novembro uma operação também foi realizada no local, que resultou na destruição de pesqueiros clandestinos, remoção de material de pesca e de lixo.

Como denunciar?

Denúncias de pesca predatória no local, que é APP, e que se agravam ainda mais neste momento, por ser piracema, o período de reprodução dos peixes, podem ser feitas pelo 190, via Polícia Militar. Outra opção é denunciar pelo 99927 2611, o celular de plantão do NIF, que também pode ser acionado via whats App.



Álbum de fotos

Foto: Reginaldo de Souza

Comente esta notícia