NOVA MUTUM, 21 de Julho de 2024
icon weather 21 º 33 º
DÓLAR: R$ 5,60
Logomarca

SORRISO Sexta-feira, 22 de Dezembro de 2023, 17:43 - A | A

22 de Dezembro de 2023, 17h:43 - A | A

SORRISO / Polícia Investiga

Jovem é executado a tiros por ordem de presidiário em Sorriso/MT

Sabrina Ventresqui/Folhamax
Sorriso/MT



Vitor Araújo de Souza, de 23 anos, foi morto com tiros na cabeça, após sofrer uma emboscada e ser sequestrado por seus algozes, na noite de quinta-feira (21), em Sorriso (420 km de Cuiabá). A execução foi ordenada presidiário, pois a vítima era suspeita de fazer “cabritagem”, ou seja, comprar drogas para revenda de fornecedor diverso do estipulado ou adulterar a qualidade e quantidade dos entorpecentes. 

Um homem, de 22 anos e uma mulher, de 24 foram presos por participação no crime. Narra o boletim de ocorrência que Vitor estava em um veículo Sandero, de cor preta, com uma mulher, que posteriormente foi presa, quando foi abordado e sequestrado por dois homens em um veículo Cobalt branco.

Populares que presenciaram o ocorrido acionaram a Polícia Militar, que iniciou diligências para localizar a vítima e os suspeitos. Durante as buscas pelo bairro Jardim Carolina, em uma estrada de chão, os militares visualizaram o Cobalt, cujo condutor acelerou e tentou fugir quando viu a viatura.

Em seguida, o motorista perdeu o controle da direção e colidiu com uma árvore. Os militares fizeram a abordagem e viram um dos suspeitos do lado do passageiro, desacordado, mas sem sinal do motorista. Então, os agentes fizeram a abordagem e encontraram duas pistolas sem munições - uma delas suja de sangue -  ao lado do suspeito. Na sequência, o Cobalt começou a pegar fogo e os PMs retiraram o rapaz do local.

O suspeito foi encaminhado para uma Unidade de Pronto Atendimento (Upa), onde recebeu atendimento médico. Posteriormente, ele contou à polícia que ele e um comparsa sequestram Vitor e o executaram com tiros na cabeça na estrada da ponte, no Jardim Carolina. Mas, não revelou onde haviam desovado o corpo, que ainda não foi localizado.

Em seguida, os militares conversaram com a mulher – que estava no carro com a vítima. A suspeita relatou que um presidiário entrou em contato para ela “montasse uma casinha” para atrair Vitor, que posteriormente seria sequestrado e morto por seus cumplices. Com o esquema montado, a mulher fez uma emboscada para a vítima e avisou a dupla para efetuarem o crime conforme o planejado.

Diante da situação, a suspeita e o rapaz, de 22 anos, receberam voz de prisão e encaminhados à Delegacia da Polícia Civil. Ambos confessaram que o homicídio foi motivado por suposta prática de “cabritagem”. O motorista do Cobalt ainda não foi encontrado, assim como o corpo de Vitor.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.



Comente esta notícia