NOVA MUTUM, 17 de Julho de 2024
icon weather 17 º 31 º
DÓLAR: R$ 5,47
Logomarca

GERAL Terça-feira, 10 de Agosto de 2021, 15:46 - A | A

10 de Agosto de 2021, 15h:46 - A | A

GERAL / APÓS UMA SEMANA DE AULA

Surto de covid entre professores e alunos fecha escolas em Cuiabá e VG

Paralisação acontece uma semana depois das unidades públicas estaduais retomarem as atividades no sistema híbrido.

João Aguiar/RepórterMT



Ao menos sete escolas estaduais de Cuiabá e Várzea Grande registraram casos de covid-19 entre alunos, professores e funcionários e suspenderam as aulas presenciais temporariamente. A paralisação acontece uma semana depois das unidades públicas estaduais retomarem as atividades no sistema híbrido.

A Escola Estadual Souza Bandeira, na Avenida Fernando Corrêa e a Escola Estadual Heliodoro Capistrano, no bairro Parque Cuiabá, publicaram comunicados para os pais de que as aulas estariam suspensas após casos confirmados de covid-19.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores de Ensino Público de Mato Grosso (Sintep) foram registrados cerca de 10 casos entre alunos, funcionários e professores das seguintes escolas: 

Escola Estadual Profª Marlene Marques de Barros, em Várzea Grande (2 alunos e 1 técnica nutricional);

CMEI Wilson Sodré Farias, em Várzea Grande; Escola Estadual Jaiminho, em Várzea Grande (3 professores);

Escola Estadual Souza Bandeira, em Cuiabá (1 professora e 1 aluno 6º ano);

Escola Estadual Aureolina Eustacia Ribeiro, em Cuiabá (1 pessoa);

Escola Estadual Heliodoro Capistrano, em Cuiabá (1 pessoa);

Escola Estadual Irene Gomes de Campos, em Cuiabá;

Não foi informado se os alunos e professores infectados tiveram contato ou se são casos diferentes. O Sintep ainda fará o levantamento em escolas do interior do Estado.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou que um protocolo foi realizado pela pasta com apoio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) para orientar em casos como esses.

Confira abaixo:  

"Sobre casos suspeitos ou confirmados de Covid-19 em escolas da rede estadual de ensino, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) reforça que deve ser aplicado o plano de contingência, que foi elaborado junto com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) e encaminhado a todas as unidades de ensino em maio deste ano.

A Seduc reforça que os profissionais das escolas foram capacitados para desenvolver as ações e que gestores devem informar e formalizar casos à secretaria, de acordo com formulário disponível.

O plano estabelece que toda escola deveria dividir as turmas em bolhas de relacionamento. Quando algum aluno ou professor de uma das bolhas contrair o vírus ou estiver em contato com alguém infectado, toda a bolha deve entrar em quarentena (tempo médio de 14 dias) pelo período recomendado nos protocolos vigentes.

As demais turmas (bolhas) deverão manter as atividades presenciais, tomando as precauções de biossegurança já estabelecidas.

No caso de alunos que apresentem algum sintoma dentro das dependências escolares, os pais/responsáveis deverão ser informados e os mesmos deverão ser encaminhados para a unidade de saúde mais próxima de sua residência para avaliação e monitoramento.

Para os profissionais, recomenda-se que nos casos em que os sintomas se apresentem no ambiente escolar, também procurem a unidade de saúde mais próxima de sua residência.

ÁREA DE ISOLAMENTO

Toda unidade escolar criou uma ‘área de isolamento’ para a permanência de caso suspeito que apresente sintomas quando já estiver no ambiente escolar.

O espaço é destinado aos estudantes, crianças e adolescentes, que precisem aguardar pelos pais ou responsáveis, ou qualquer outra pessoa que necessite ser encaminhada para casa ou unidade de saúde mais próxima. Não é para permanência durante o período de aula, apenas até ser buscado pelos pais ou responsáveis.

Exemplo de aluno que será encaminhado para a área de isolamento é aquele que apresentar febre ao ingressar na escola ou dores no corpo durante a aula.

MONITORAMENTO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO E ALUNOS

A Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso desenvolveu, durante o período de aulas não presenciais, um sistema de notificação dos casos suspeitos ou confirmados para uso da comunidade escolar, no âmbito da Seduc. As informações no sistema são inseridas pela unidade escolar.

O monitoramento do sistema é realizado tanto da SES, quanto pela Secretaria Adjunta de Gestão Educacional (SAGE) e Secretaria Adjunta de Gestão de Pessoas (SAGP), ambas da Seduc.

As escolas, diariamente, precisam fazer um check list de acompanhamento dos alunos e profissionais onde possa ser identificado qualquer sintoma da Covid-19, desencadeando alerta para a central de monitoramento.

ATENÇÃO

Se os sintomas da doença se iniciarem em casa, antes dos alunos ou profissionais se dirigirem às escolas, estes deverão comunicar a direção das escolas e serem orientados a procurar uma unidade de saúde para avaliação, devendo manter o isolamento domiciliar conforme recomendação médica.

Em ambas situações, o profissional responsável pelo INDICASUS da escola deverá realizar a pré-notificação do caso e acompanhar o andamento até a conclusão final."



Comente esta notícia