NOVA MUTUM, 01 de Agosto de 2021
icon weather 13 º 27 º
DÓLAR: R$ 5,21
Logomarca

AGRONEGÓCIOS Quinta-feira, 01 de Julho de 2021, 14:30 - A | A

AGRONEGÓCIO

Estudo revela oportunidades e desafios da tecnologia no campo em MT

86% dos agricultores do estado possuem internet na propriedade, mas concentrada na sede

Eliza Maliszewski/Agrolink

Foto: Reprodução

image

Um estudo divulgado pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) avaliou os desafios e oportunidades para o uso da tecnologia no campo. “O perfil do agricultor mato-grossense na era digital” revela que 86% dos agricultores do estado possuem internet na propriedade, mas a maior parte da abrangência desta conexão está concentrada apenas na sede. Um dos maiores desafios seria a melhora da conectividade rural. 

Além do cenário da conectividade no campo, o levantamento aponta o uso de tecnologias e o perfil tecnológico dos produtores de Mato Grosso. Foram ouvidos 470 agricultores, abrangendo uma área total de 901 mil hectares de soja que correspondem a 9% da área estadual de plantio desta cultura. O trabalho foi desenvolvido entre os meses de setembro e outubro de 2020 e incluiu as sete macrorregiões, totalizando 80 dos 141 municípios mato-grossenses.

Segundo o superintendente do Imea, Daniel Latorraca, o estudo contribuiu para avaliar o momento atual do produtor no que tange a utilização de tecnologia, além de fomentar ainda mais o desenvolvimento das soluções para o agro. “A pesquisa revela desafios como a conectividade, os canais de comunicação e oportunidades de melhorias, dados de clima, monitoramento da produtividade, entre outros fatores importantes que ainda precisamos avançar”, afirmou.

Um dado curioso é que entre os inúmeros benefícios da internet nas propriedades, o principal deles, segundo a amostra de produtores entrevistados, é a retenção dos funcionários (22%). Em seguida estão fatores como o controle dos estoques (18%), monitoramento das operações agrícolas (17%), compras on-line (16%), monitoramento do clima (14%), segurança na fazenda (13%) e outros fatores (0,7%).

Conforme a pesquisa, a utilização de smartphone pelos produtores supera o uso dos computadores. Para 92% dos agricultores, o smartphone é um importante aliado na gestão da propriedade e acesso à informação. É por meio deste aparelho que o produtor acompanha o mercado, as vendas e faz a comunicação com os clientes e fornecedores. As regiões que mais usam smartphone são o sudeste e o nordeste do estado. O centro-sul é o que menos utiliza a ferramenta.

Quando o assunto é o uso de aplicativos (APPs) ou software, 61% dos respondentes adotam alguma dessas tecnologias especialmente com o objetivo de buscar eficiência e auxílio na gestão da propriedade (36%). Em seguida estão interesses como verificar a previsão do tempo (34%), auxiliar no manejo de pragas, doenças e daninhas (15%) e outros fatores (15%).

“Diante desse ambiente de volatilidade de preços dos insumos, do dólar e o próprio manejo na fazenda fazem com que o produtor busque melhorias na gestão. As ferramentas digitais auxiliam nesse processo. A pesquisa identificou que eles usam e se interessam cada vez mais por essas ferramentas para auxiliar nas tomadas de decisões e na própria rotina das propriedades”, acrescentou Latorraca.

A amostra também trouxe algumas percepções dos produtores sobre os canais de comunicação mais usados durante a pandemia. No cenário pré-pandemia, os produtores se informavam mais via whatsapp (27%) e feiras agropecuárias (25%). Com o advento da pandemia, a preferência pelo uso do whatsapp aumentou (38%) e as feiras foram a principal atividade com grande impacto, reduzindo em 97% sua representatividade no acesso às informações, passando dos 25% de presença como canal de comunicação para 0,25% de participação. Redes sociais como o facebook e o instagram ganharam destaque no período, 12% e 11% respectivamente.



Imprimir

Comentários